Blog

Evasão no Ensino Superior

7 fatores que influenciam a evasão no ensino superior

evasão no ensino superior é um problema social (sob o ponto de vista educacional) e administrativo (devido ao impacto negativo que gera nas universidades) e deve ser combatida veementemente.

Afinal, o mercado de trabalho está cada vez mais exigente e ramificado, ou seja, priorizando profissionais com formações direcionados para demandas específicas. Com isso, o número de matrículas no ensino superior cresceu, tanto para graduações quanto para as pós-graduações (lato e stricto sensu).

No entanto, de acordo com o último Censo da Educação, disponibilizado pelo Ministério da Educação (MEC), a quantidade de alunos que abandonam seus cursos ou trancam a matrícula é alarmante. Para se ter uma ideia, em alguns cursos a taxa de evasão ultrapassa os 50%.

Pensando nisso, a seguir falaremos sobre os principais fatores que a influenciam a evasão no ensino superior e abordaremos algumas medidas que podem minimizar esse problema. Acompanhe!

Baixe agora nosso infográfico e saiba como reduzir custos com a biblioteca digital!

1 – Ensino médio defasado

Muitas vezes, a educação básica pública brasileira não prepara o aluno de forma adequada ou suficiente. Desse modo, ao ingressar no ensino superior, uma parcela significativa dos alunos apresentam dificuldades nas matérias que exigem um maior aprofundamento, raciocínio ágil, capacidade crítica ou interpretativa.

Leia também: Veja como os livros e as tecnologias digitais melhoram a qualidade de instituições de ensino

Uma maneira de se reverter esse quadro é realizando triagens para identificar as defasagens educacionais dos alunos e, com essas informações, oferecer aulas de reforço antes de se ministrar as disciplinas que requerem mais dos alunos.

2 – Dificuldades pessoais

Além da dificuldade de se conciliar a rotina de trabalho com os estudos, muitos alunos eventualmente acabam tendo que enfrentar problemas como doenças, conflitos familiares, gravidez, entre outros. Nos casos referentes às estudantes grávidas, existe uma lei que garante auxílio e todos os direitos da mãe.

Já em quadros de doenças, os atestados médicos podem garantir que determinadas atividades sejam realizadas em casa. Ademais, com o objetivo de acolher os alunos dentro do ambiente acadêmico, algumas instituições começaram a oferecer assistência psicológica.

 3 – Estagnação do método de ensino

A vida contemporânea é notadamente vinculada à tecnologia. Logo, aulas expositivas, livros cansativos e avaliações engessadas funcionam como verdadeiros desestimulantes para os alunos.

Leia também: Como instituições de ensino, professores e alunos podem se beneficiar com a transformação digital

É função da instituição de ensino tornar as aulas e o ambiente universitário receptivo e saudável para os alunos. E a melhor maneira de se fazer isso na atualidade é contando com tecnologias educacionais que facilitam o aprendizado, como bibliotecas virtuais, aulas interativas e conteúdos em formatos alternativos, como em vídeo.

4 – Indisponibilidade de tempo

De acordo com dados do IBGE, a realidade da maioria da população se encaixa em rendimentos médios per capita pouco acima de um salário-mínimo, o que vale apenas para a população economicamente ativa, ou seja: aquela que trabalha.

Logo, para a maior parte da população os estudos precisam ser conciliados com o trabalho. No entanto, os modelos tradicionais de ensino exigem uma dedicação em horas muito elevada, o que faz com que muitos alunos desistam dos estudos.

A melhor maneira de contornar esse problema é o oferecimento de modalidades de Ensino a Distância (EAD) ou flexibilização de grade e horários de aula. Dessa forma, o ensino se torna mais acessível e democrático.

5 – Inadimplência

Outro fator responsável pela evasão no ensino superior é a dificuldade em continuar pagando as mensalidades da instituição de ensino, resultando em desistência por inadimplência ou incapacidade de ser arcar com os custos da mensalidade. Políticas como oferecimento de descontos por desempenho, financiamentos e condições flexíveis para pagamento podem reduzir a evasão por inadimplência.

6 – Não identificação com o curso

evasão no ensino superior muitas vezes ocorre pela não identificação do aluno com o curso escolhido. Nesses casos, a instituição de ensino possui apenas três alternativas: fazer o melhor possível para tornar o curso atraente, promover orientações vocacionais para que os alunos descubram suas aptidões e interesses e, por fim, oferecer a chamada reopção, que permitirá que o estudante migre de curso dentro da própria faculdade.

7 – Falta de perspectivas profissionais

ensino superior é, parcial ou integralmente, uma maneira que o aluno busca para progredir profissionalmente e financeiramente no futuro. Logo, se durante a formação o estudante não vislumbra perspectivas positivas para sua carreira, ele ficará desmotivado e possivelmente desistirá do curso.

Leia também: Como a educação 4.0 impacta na educação e no ensino superior

Para que isso não ocorra, cabe à instituição de ensino buscar parcerias com empresas e entidades governamentais para oferecer bons programas de estágio e ajudar o aluno a encontrar uma posição no mercado.

Auxiliar a formação do estudante durante a graduação também é um cuidado imprescindível que as instituições de ensino devem adotar. Possibilitar o acesso a conteúdos virtualmente, como a Minha Biblioteca oferece, é um dos caminhos mais certeiros para colaborar e incentivar a dedicação aos estudos por parte do alunado.

Caso precise de uma biblioteca digital, entre em contato conosco e comece agora a fazer sua estratégia para evitar a evasão no ensino superior.

Sua instituição de ensino precisa de uma biblioteca digital? Solicite nossa proposta comercial!